Uma vida entre cores

1394396_10152391042043272_1284631226_nDesde criança eu gosto muito de cores. Era fascinada pelos lápis coloridos, principalmente aquele giz de cera gorducho. Meu sonho era ter uma caixa de Caran d’Ache, que custava uma fortuna. Adorava desenhar, criar, mas não tinha muito talento. Ou talvez, não sabia explorar o talento. Mas sempre fiz tudo com muita criatividade. Desde participações em festas a fantasia, trabalhos escolares, e principalmente tricot. Eu inventei um método de fazer meias e luvas de tricot. E claro fiz toneladas de meias e luvas. Eu lembro que uma vez convenci todas as minhas amigas de fazerem tricot em uma temporada com a Marjorie em Itaipava. O último ataque de criatividade artesanal aconteceu no final de 2011, quando eu fiz mais de setenta pulseiras em macramê tipo shambalas, lindas, coloridas, em quinze dias.

Sempre tive o apoio da minha mãe, Elca Krivkin, que fazia de tudo para realizar da melhor forma possível as minhas idéias. Ela também é muito habilidosa manualmente, e desenha super bem, meu pai também. Já minha vocação musical é uma lastima, adoro música, mas não consigo nem bater palmas no ritmo.

Sou ariana e aprendi que para fazer qualquer trabalho manual, só dá certo se conseguir terminar em algumas horas. Tudo que tentei fazer que levava mais tempo, eu desistia. Claro que entrava de cabeça em uma intensidade absurda. Como quando resolvi aprender a tecer em tear manual. Comprei um tear gigante ocupava 1/3 da minha sala, ia lá no Sesc Pompéia fazer curso depois da Intek. Fiquei um dia 8 horas tecendo sem parar e depois nunca mais peguei no tear.

Tentei pintar também, uma vez fui para Londres e comprei vários tubos de tinta óleo, dourado, prata, cores cítricas, ainda não tinha aqui. Cheguei no Brasil comprei telas, e comecei a pintar hipopótamos. Eu tinha engordado muito e me sentia um hipopótamo, e passei a pintá-los e dar de presente, pois não tinha mais onde por hipopótamos. Temos um casal em casa que representa eu e o Mi, o Gorducho e a Gorducha, e emolduramos em dourado, como uma super obra de arte. Tenho também uma tentativa de Van Gogh e seu campo de girassóis. E parei por aí. Um quadro o Mi me fez dar, pois ele dizia que não dava para suportar, os hipopótamos tudo bem, mas aquele quadro…

Estudei teoria das cores na Escola Theobaldo de Nigris do Senai, por causa do Mario Busch, e foi importantíssimo na minha vida. Minha vida sempre foi regrada por cores. Estou na fase azul agora. Tenho bolsa, sapato, blusas, estou parecendo o Roberto Carlos. Definitivamente não sou bege. Nossa casa tem paredes coloridas, que mudam conforme as fases, agora temos verde pistache, azul céu, e cinza escuro. Já tivemos uva, vermelho, verde escuro, laranja, amarelo e até rosa antigo.

Fazem uns quinze anos ou mais que pinto as unhas coloridas. Tive uma coleção enorme de esmaltes. Uma vez quase a Veja fez uma matéria sobre essa coleção. Na época não estava na moda, esmalte. Hoje continuo pintando as unhas coloridas, e estou na fase azul tinta Bic. Adoro. Nas minhas viagens de trabalho a diversão era comprar esmalte. Eu trocava praticamente todos os dias de cores, principalmente quando eu ia visitar meu irmão em Berkeley, e pintava as unhas da Sil no Wallgreens para testar as cores. Depois comecei a pintar o cabelo, fiquei ruiva escuro, cabelo preto, loira platinada, e ruiva Nicole Kidman. E depois me encantei pelo mundo do make-up. Conhecia tudo. Fazia make-up em todas as lojas americanas. Mac, MakeUpForEver, Lorac, Bobbie Brown, Nars, YSL, eu posso passar a vida dentro de uma Sephora. Pena que não posso usar muito, pois me da alergia, mas adoro.

Presto muito atenção nos detalhes, não gosto do que está na moda. Eu crio a minha própria moda. Depois que eu engordei muito, o jeito foi me vestir básica e explorar acessórios. Comecei a fazer minhas próprias jóias, evolução dos anéis de cristal, e me encantar com as pedras preciosas. Estudei sobre pedras. A pedra da vez é o topázio london blue, já que não dá para ter uma turmalina paraíba. E ainda vou comprar um anel de opala negra, da Marcelinha, minha amiga querida, e suas jóias maravihosas, Ayd von Ayd.

As cores são importantíssimas na vida. Existem teorias que dizem que as cores estimulam o apetite, acalmam na hora de dormir, relaxam, deixam eufórico, etc.

Eu vivo uma vida bem colorida.

Bom dia! Boa semana. E um pouco de cor na vida de vocês. Que tal o azul de esperança?

texto bom para esse dia cinza…

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s