Am Israel Chai

Eu demorei muito para conhecer Israel. Por algum motivo não programado, viajei para tudo que é lugar do mundo e muitas vezes dezenas de vezes para o mesmo lugar e deixei Israel para poucos anos atrás. Existe um judeu antes e depois de conhecer Israel. Você pode até se considerar judeu, mas colocou o pé em Eretz a coisa pega, e como pega, passa de um conjunto de tradições para uma sensação de pertencer a um povo, e o único local no mundo, onde esse povo pertence de verdade é Israel. Eu posso ficar explicando de hoje até amanhã o que é Israel. Um país no meio de um deserto, de um pântano, seco, sem verde, um calor infernal. Um território menor que o estado do Rio de Janeiro. Em poucas horas você atravessa o país inteiro.

De 1948 para cá construíu-se um país com uma das tecnologias mais avançadas do mundo em informática, medicina, agricultura, com uma infra-estrutura invejável, com técnicas de irrigação que transformaram desertos e pântanos em áreas produtivas. O dinheiro lá dá para o básico (saúde, educação, segurança e infra-estrutura) e para manter um aparato militar que gasta milhões e milhões para proteger o território. E tem verde, ainda meio pálido, mas tem verde. E um povo que tem uma força inacreditável. A sensação de segurança quando você está em solo israelense é indescritível. A sensação para um judeu de pertencer a Israel também é indescritível. A quantidade de culturas e miscegenação que você encontra por lá também é indescritível, árabes as toneladas vivendo em Paz. Por mais que sejamos pedantes e chatos, não podemos parar de repetir, não podemos parar de apoiar nossa Eretz. Eu e vários amigos e familiares da comunidade passamos o dia replicando ou comentando o que está acontecendo em Israel , porque temos amigos que não são tão informados e acabam divulgando informações equivocadas sem checar as fontes. Já temos um problema bem sério e tudo que não precisamos é ainda palpites ou comentários que aumente o ódio contra nós judeus. Temos que aproveitar os novos meios de comunicação para por literalmente a boca no trombone, quer seja com mensagens, quer seja com manifestações como a de ontem em Higienópolis, quer seja comentando notícias, quer seja criticando a imprensa nacional, quer seja criticando a diplomacia brasileira. Não dá pra ficar quieto.

E dessa vez quem fala é um médico islamita do Cairo. Os árabes vivem em Paz em Israel. O Hamas não consegue dar esse mesmo ambiente para seu povo palestino, e a culpa é de quem?

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s